img_0773

Não estou interessada em questionar a legitimidade de comemorarmos em Portugal o Halloween . Mas posso, ainda assim, tentar lembrar a tradição do Pão-por-Deus que até ao final da minha infância vivia com muita alegria e expetativa.

Não saía à rua na noite de 31 de outubro, mas o dia de Todos-os-Santos era o momento de bater às portas de toda a vizinhança, com um um saco de fazenda, normalmente as sacas do pão, e recolher com o mesmo entusiasmo os frutos secos, os rebuçados de mel, as castanhas, os biscoitos e bolachas da mercearia, fruta ou um punhado de feijão seco.

Nunca lhe chamei “Bolinhos ou Bolinhós”, como é costume na zona de Coimbra. Para mim sempre foi “Pedir pelas alminhas” ou “Pão-por-Deus”.

Ancestralmente, no país, o dia de pão-por-deus, ou dia de todos os fiéis defuntos, era o dia em que se repartia muito pão cozido pelos pobres.

No incontornável livro de Teófilo Braga, “O povo português nos seus costumes, crenças e tradições”, alguma referências podem ser encontradas relativas a esta tradição, nomeadamente algumas das quadras que eram ditas pelas crianças. Eis um exemplos:

Pão, pão por deus à mangarola,
encham-me o saco,
e vou-me embora.

Se não ficarem satisfeitos dizem:

O gorgulho gorgulhote,
lhe dê no pote,
e lhe não deixe,
farelo nem farelote

img_0767

Para sinalizar esta tradição, deixo uma receita de bolachas. Embora não me remetam para a minha infância, em que não entrava a farinha de alfarroba, bolachas e frutos secos são muito daqueles dias. Além do mais, todos quantos as provaram (e foram muitos) pediram a receita. Seja feita a sua vontade!

img_0770

Bolachas de alfarroba e frutos secos

(rendeu cerca de 50 bolachas)

130 g de farinha de trigo

130 g de farinha de alfarroba

70 g de mistura de frutos secos

160 g de manteiga sem sal, fria

1 colher de sopa de taíne (pasta de sementes de sésamo)

100 g de açúcar amarelo

2 ovos

1/2 colher de chá de bicarbonato

1/2 colher de flor de sal

Preparação:

*Num processador misturar a manteiga com o açúcar.

*Juntar os ovos e misturar para ligar.

*Juntar as farinhas, os frutos secos grosseiramente partidos, o taíne, o sal e o bicarbonato e processar até tudo estar bem ligado e formar uma bola.

*Colocar a massa comprimida numa folha de papel vegetal e embrulhar dando-lhe a forma de um rolo, apertando as extremidades do papel.

*Levar ao congelador por 15 minutos.

*Pré-aquecer o forno a 180º.

*Cortar o rolo em fatias com 1 cm de espessura, aproximadamente, e colocar afastadas umas das outras num tabuleiro forrado com papel vegetal.

*Cozer por 10 minutos. Ao tirar do forno estarão ainda moles, mas endurecem ao arrefecer.

*Guardar numa lata ou num frasco hermeticamente fechado. Pode ainda congelar para ter à mão numa merenda inesperada.

img_0781

 

img_0774

img_0792